quarta-feira, agosto 01, 2007

PERSEVERANÇA

Um Alerta aos Músicos Evangélicos.
No principio do século dezenove existiu um missionário Inglês que trabalhou por vinte cinco anos em uma base missionária na África. Ele e sua esposa foram para aquela base ainda jovens e ali envelheceram. Durante aqueles vinte cinco anos de trabalho missionário, apenas cinco almas estavam convertidas e firmes no evangelho. Certo dia receberam uma carta de seu pastor na Inglaterra os convidando para passar uma temporada em sua igreja. Eles foram e ficaram um período congregando e comungando com seus irmãos. Um dia seu pastor os convidou a seu gabinete e lhes disse: Meus amados, sabemos que vocês deram seus melhores anos em nossa base missionária na África e poucas conversões aconteceram ali. Nossa congregação hoje lá conta com sete pessoas: vocês e mais cinco africanos; queremos honrá-los pelo tempo de sua vida que entregaram ali na obra do Senhor e lhes dar todo conforto aqui na Inglaterra, casa, um bom salário, e uma posição de honra em nossa igreja, queremos jubila-los entre nós.

Aquele missionário respondeu a seu pastor: Pastor, quando fui para aquela obra o Senhor nosso Deus me disse que ali acabariam meus dias. Se o senhor me permite abro mão de tudo que estão nos oferecendo e quero voltar para lá. Seu pastor permitiu que voltassem.

Nos dias posteriores ao retorno deles para a base missionária aquele irmão estava furando uma cisterna em seu quintal e de repente sentiu uma presença olhando para ele de cima do buraco. Quando ele virou os olhos para cima viu um cavalo que o olhava congeladamente e rapidamente ao lado daquele cavalo apareceram dois homens que disseram: (Grande homem que tem o livro de nossa história, queremos te servir.) Rapidamente aquele missionário saiu do buraco e os chamou para dentro de sua casa para conversarem. Aqueles homens nativos contaram para o missionário: Há quatro dias nosso Pajé (guia espiritual) nos ordenou a sairmos correndo pela mata atrás deste cavalo e só pararmos onde ele parasse. Onde esse cavalo parasse estaria o homem que tem o livro. – O missionário respondeu realmente eu sou o homem, (naqueles vinte cinco anos, ele fez toda a tradução do Pentateuco e os evangelhos das línguas originais para o dialeto daquele povo.) Ele foi com aqueles homens para sua tribo e levou as traduções. Chegando lá contou para eles a história da criação do mundo, e o plano de salvação de JESUS CRISTO. Naquele mesmo dia toda aquele povo se converteu a JESUS CRISTO. Na semana seguinte aquele missionário mandou carta para seu pastor, pedindo que enviasse obreiros. Sua congregação estava com mais de doze mil pessoas.

Gosto muito da frase da música “Deus de promessas” que diz “Tudo pode passar, tudo pode mudar, mas sua palavra vai se cumprir”. Nosso Deus é Fiel, e se ele falou que vai fazer algo em sua vida, fique tranqüilo Ele vai fazer. A perseverança é a engrenagem mais forte do processo de Deus em nossa vida para gerar os grandes sonhos Dele em nosso tempo. Ela produz esperança e a esperança tem sua obra completa.

Muitos tem confundido sucesso humano, holofotes, shows transbordantes em adrenalina, vendas e mais vendas de cd´s com o realizar do sonho de Deus em sua vida. TRISTE ENGANO. Um dia desses ouvi um grande pregador brasileiro falando sobre sonhos dizer: “Sonhe que sua filha vai se tornar uma grande cantora e vai vender mais cd´s que a Lagoinha.” Que sonho medíocre e humano! Infelizmente essa tem sido a realidade de muitos e pode ser a sua, porém a proposta do Senhor para nossa vida como ministros é muito mais que chegar no topo dos homens e alcançar brilho humano. A proposta de Deus para nós é de nos tornar cidadãos dos céus, tendo seu caráter e sua vida emanando de nossas atitudes todos os dias.

Bom, estou escrevendo pra músicos e como sou um da turma, sei que muitas vezes borbulha em nosso coração o desejo de grandes acontecimentos, pois a música e o que ela pode gerar em nós e para nós é algo muitas vezes emocionalmente indescritível, porém embarcando nessa perdi muitos irmãos pelo caminho, muitos que entraram numa de que, essa de tocar em igreja e para crente ta por fora. Foram para o mundo. Hoje tocam em bandas seculares e estão a kilômetros de distância dos sonhos de Deus para sua vida sendo “fantoches” nas mãos de satanás, e até um que literalmente perdeu sua vida, num fim de noite em um barzinho tocando seu teclado tomou um tiro na cabeça. Partiu para glória? Acho que não! Acredite, suas letras eram lindas. Permita-me dar uma palhinha, uma das letras dele dizia:

“Dizer que tudo já passou pra mim, coisas que não têm valor, ficar pensando ilusões pra mim, não da mais não. O que eu quero é falar de que eu gosto, tanto de estar bem pertinho de você é Jesus na minha vida”.

Ele perdeu o foco seduzido pela energética adrenalina do sucesso dos homens.

Deus nos prova, essa prova sempre vai ao limite de nossa fé para que possamos saber o que realmente queremos. Você canta? Você toca? Isso é seu ministério? Você tem um sonho? Acredita que foi Deus que o colocou em seu coração? Então persevere, louve ao Senhor em toda e qualquer situação, quando tudo parecer que vai bem ou quando você não tiver nenhum violão para soltar belos acordes, você sempre terá em seu coração um incêndio de amor para oferecer a seu Rei.

Já ouvi muitos dizerem: Que som ruim! Assim não dá! Essa igreja não tem nem retorno! Não sou valorizado aqui! Vou pra onde me valorizam!... Acredito que você também já ouviu essas coisas em algum lugar, isso expressa falta de compromisso com Deus e total compromisso com seu ego e sua vontade de aparecer. Esse definitivamente não é o perfil de que quem ama a Deus e o adora através da música, mas sim de quem quer usar a música dentro da igreja para se promover como a usaria na boate, na casa noturna ou em qualquer lugar que tivesse uma oportunidade para se mostrar a estrela brilhante. Isso pode destruir você.

Na Edição 129 de junho de 2007 do Jornal Palavra do Rio de Janeiro, nosso irmão Robinson Monteiro conta um testemunho forte que vou transcrever parte.

Tudo que Robinson mais queria era louvar a Deus e poder resgatar vidas com suas músicas. Ele sempre acreditou que esse era o seu chamado ministerial. Mas o sucesso estava prestas a leva-lo por caminhos que ele nem imaginava percorrer.
Ao fechar o acordo com a gravadora Warner Music, Robinson se tornou um “escravo” de contrato. Diz ele:
– Eu era um fantoche. Eles me diziam como devia me vestir, falar, pentear o cabelo e até as músicas que deveria cantar. Eu não podia opinar em nada. Não fui criado para vender uma imagem e sim cantar – lembra Robinson com tristeza.
Ele conta que seu projeto de vida era realizar o que chamou de “Obra de Deus”, mas o que estava vivendo era algo bem diferente: – Eu tinha que cantar em lugares como boates gays e shows de forró, mas o que mais me aborrecia era ter que cantar músicas seculares que não falavam nada de Deus. Porque se fosse a esses lugares para pregar a Palavra, iria com o maior prazer. O cantor que estava acostumado a cantar em cultos e freqüentar a Escola Bíblica Dominical logo entrou em conflito consigo mesmo: – O que estou fazendo? Eu só queria cantar nas igrejas, ao lado de Cassiane, Rose Nasciemento... Ficava muito chateado com aquilo – Recorda.
As exigências do contrato exerciam uma forte pressão sobre Robinson que chegou até a tomar remédio para emagrecer:
– Todos diziam que eu estava gordo e que isso era ruim para minha imagem. Fui à farmácia e sem receita médica comprei anfepramona e metrazol. Três dias depois fui parar na UTI entre a vida e a morte.
Foi então que o “Anjo” fez um propósito com Deus.
– Daquele dia em diante só cantaria músicas que transmitissem a Palavra do Senhor:
– Deus restabeleceu minha saúde e me curou até da depressão. Não precisei tomar nenhum antidepressivo.

Fico feliz em ver que o Senhor tirou nosso irmão desse charco de lama e perdição e colocou o seus pés sobre uma rocha firme. Mas muitos de nós vimos a luta de Robinson no ano de dois mil no programa do Raul Gil para conseguir esse “Tão sonhado contrato”, que o levou a esse tão profundo posso de quase morte.

Querido leitor, seu sucesso não depende de você e não é o que você vê como sucesso. Seu sucesso é o que Deus vê como sucesso! O missionário que citei no inicio de nosso papo entendeu claramente isso e mesmo a despeito de vinte e cinco anos de “fracasso” perseverou. Ele morreria ali com os cinco irmãos em sua congregação, pois ele entendeu que o sucesso de Deus na vida dele era fazer uma obra linda em seu caráter. Meu desejo é que você possa entender isso também e perseverar, perseverar e perseverar sabendo que você “pode enfrentar o que for saiba quem luta por você e que os seus planos não podem ser frustrados, que sua esperança esteja nas mãos do grande EU SOU pois ele faz o impossível acontecer Ele é Deus de aliança, Deus de promessas, Deus que não é homem para mentir” e não há nada verdadeiramente nada que se compare a realização do Sonho de Deus em nossa vida, em nos sentirmos vivos, árvores frutíferas, verdadeiros adoradores.

Toda nossa arte musical é só uma desculpa um meio, uma ferramenta para nos aproximarmos de nosso Eterno e maravilhoso Deus. Persevere Até que o sonho de Deus se realize em totalidade em sua vida. Depois e só depois você poderá dizer como disse Simeão quando pegou Jesus nos braços:
Havia em Jerusalém um homem cujo nome era Simeão; e este homem era justo e temente a Deus, esperando a consolação de Israel; e o Espírito Santo estava sobre ele. E fora-lhe revelado, pelo Espírito Santo, que ele não morreria antes de ter visto o Cristo do Senhor. E pelo Espírito foi ao templo e, quando os pais trouxeram o menino Jesus, para com ele procederem segundo o uso da lei, Ele, então, o tomou em seus braços, e louvou a Deus, e disse: Agora, Senhor, despedes em paz o teu servo, segundo a tua palavra pois já os meus olhos viram a tua salvação. (Lucas 2.25-30)

Pr. Romney Cruz
Belo Horizonte

2 comentários:

Pr. William disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pr. William disse...

Desculpe o assassinato do português no meu comentário anterior. Leia-o sem os erros, por favor.
Na realidade, nós homens, somos muito inconstantes. Mas se observarmos que o que Deus quer de nós é a obediência, então a perseverança fará parte essencial do nosso ser. Não há como servir a Deus sem perseverança e determinação. "Aquele que põe a mão no arado não pode olhar para trás".