quarta-feira, dezembro 19, 2007

QUANDO NOSSA RESPOSTA É EIS-ME AQUI!

Era quase meia-noite de uma terça-feira de muito trabalho e de trânsito estressante, afinal, era fim de ano. Eu havia pregado em um culto que chegara atrasado, devido ao enorme engarrafamento em que fiquei preso. Minha filha não queria dormir e, ao tentar niná-la, porém, quem estava sendo ninado era eu. De repente, o telefone toca. Era um amigo dizendo que sua esposa estava com fortes dores nos rins. Disse a ele que iria trocar de roupas e que nos encontraríamos no estacionamento. Coincidentemente, ele mora no mesmo prédio que eu. Nos encontramos minutos depois e fomos para um hospital onde não conseguimos atendimento. Dirigimo-nos para outro hospital e meus amigos entraram para a sala de pré-atendimento. Nesse momento aconteceu um tumulto, um jovem saiu gritando da sala do médico dizendo: – não vou ficar internado!!! Perguntei ao segurança, o que estava acontecendo, e ele um tanto amedrontado disse: – O cara está muito doidão, ele deu entrada aqui com overdose! Acordou dizendo que ninguém o seguraria nesse hospital.
Já eram quase duas da manhã, a lua tímida se escondia atrás de uma nuvem escura de chuva, as poucas estrelas que se via no céu, lembravam vagalumes bem distantes. Estava absorto em meus pensamentos quando dirigi meu olhar para o estacionalmento do hospital, foi então que vi o rapaz andando em círculos como se não soubesse para onde iria. Então, aproximei-me e perguntei-lhe o seu nome. Hélio*, foi sua resposta. Quebrado o gelo, perguntei o problema que ele estava enfrentando naquele instante. Foi aí que ele, com um misto de raiva e desespero, falou: "– É over de crack véi, destruí minha vida, perdi muito dinheiro, tudo que eu tinha. Trabalho, saúde, estou matando minha mãe... Não tem solução, vou morrer, quero me recuperar, mas não sei como, nem onde". Nesse momento crucial disse-lhe: "Sei onde você pode se recuperar". Com um olhar interrogativo, e antes que ele me dissesse alguma coisa, peguei em minha agenda do celular o número de uma clínica de recuperação (Minmistério Jericó). Passei-lhe o número do telefone de lá e anotei o número do telefone dele.
"Olha meu amigo Jesus pode mudar tudo. Ele levanta o morto da sepultura. Tira o cativo da prisão e faz renascer do monturo de ossos um exército", falei para ele. Eu havia pregado sobre naquela noite, no texto de Ezequiel 37 sobre o vale de ossos secos. Foi bastante propício repetir algumas palavras. Orei com aquele rapaz. Ele se despediu e foi embora. Continuei orando por ele noite adentro. No dia seguinte recebi uma ligação, era a irmã daquele rapaz. Ele havia passado o meu telefone para ela. Estava precisando de ajuda. Em poucas horas organizamos tudo e aquele rapaz, até então, desesperado e sem perspectiva de vida, já estava se dirigindo para o lugar onde iria receber todo atendimento, psicológico, físico, e sobretudo espiritual, necessários para ser livre. Deus havia salvado mais uma vida da morte.
Nós, como cristãos, devemos ficar atentos. Não podemos perder nenhuma oportunidade para sermos usados por Deus. Pois o mesmo Deus que me usou para tirar aquela vida da morte certa, pode usá-lo também. O Senhor precisa de nós todos os dias para anular as obras do diabo e trazer vida a esta Terra.

E, QUAL TEM SIDO A SUA RESPOSTA?
*Hélio foi a alcunha usada para preservar o nome e a pessoa a quem pude ajudar.
*O Ministério Jericó é uma instituição que ajuda as pessoas em dificuldades no vício das drogas. O telefone para contato é: (31) 3641-7072 - Pr. Eduardo e/ou Maicon.
Pr. Romney Cruz

quinta-feira, dezembro 13, 2007

QUAL TEM SIDO NOSSA RESPOSTA?

As veses sofremos por coisas banais. Enquanto tem gente sofrendo de verdade no mundo. Precisamos fazer alguma coisa. "A quem enviarei? e quem há de ir por Nós?" foi a pergunta feita por Deus a Isaias, no ano que morreu o rei Usias (Isaias 6.1-8), a resposta de Isaias foi, eis-me aqui envia-me a mim. E qual tem sido a nossa resposta ao chamado de Deus?

video

Pr. Romney Cruz